Quiropraxia

A coluna vertebral fornece uma cobertura livremente móvel que protege o sistema nervoso. Quando a coluna vertebral trabalha apropriadamente, a integridade do sistema nervoso é mantida. Isso permite que ela seja usada pela inteligência inata para manter-nos saudáveis e cheios de vida.

Desde o nascimento e por toda a vida a coluna vertebral é puxada, girada e sacudida, sofrendo traumas, quedas, acidentes e excesso de esforço, fazendo com que os segmentos individuais ou vértebras possam sofrer entre si.

O segmento assim afetado, mesmo protegendo a porção mais nobre que é a medula espinhal, produzirá no nervo raquidiano que daí emerge, um tipo de interferência no seu fluxo de informação, tornando-o incapaz de transportar eficientemente os impulsos mentais fornecedores da vida, esta condição é conhecida como SUBLUXAÇÃO.

Subluxação

A subluxação ocorre quando uma ou mais vértebras se movimenta fora de alinhamento e criam interferência no sistema nervoso. Após uma vértebra sofrer subluxação, a harmonia com a qual fomos criados é diminuída e o desempenho geral do corpo é diminuído. As células começam a funcionar por conta própria em vez de trabalhar em cooperação com os tecidos adjacentes. Essa célula, perdendo a harmonia com os outros tecidos, começa a ter seu funcionamento inadequado até sentirmos qualquer um de uma infinidade de sintomas.

Esses sintomas, que podem incluir desde a baixa de produtividade, dores no peito e dor de garganta, até acne, distúrbio estomacal, ou uma dor de cabeça, servem como sinais de advertência. Se a subluxação não for corrigida, podem ocorrer doenças e sofrimento desnecessários, a diminuição da qualidade de vida e, finalmente, uma diminuição da quantidade ou tempo de vida.

Os quiropraxistas são profissionais treinados para verificar a presença de subluxações na sua coluna vertebral e na de seus familiares. Se encontrarem uma subluxação ou mais,os quiropraxistas ajustam a coluna vertebral para corrigi-las, eles estão preocupados em corrigir a causa em vez de tratar dos efeitos. É um trabalho que não só visa a coluna e sim todas as articulações do corpo.

O que é a quiropraxia?

Técnica manual, que visa corrigir as disfunções que ocorrem na unidade motora vertebral, ocasionando um bloqueio, através de manipulação das vértebras.

Seu objetivo, não é tratar doenças nem sintomas e sim remover a interferência neurológica, permitindo que o corpo encontre seu equilibrio utilizando-se dos seus próprios mecanismos internos.

A quiropraxia é eficaz para aliviar e prevenir dores corporais ou articulares, além de ajudar a resolver problemas em órgãos e sistemas de todo o corpo. Com objetivo de garantir o bom funcionamento global do organismo o quiropraxista age localmente, nas chamadas subluxações vertebrais, que comprometem a passagem dos impulsos nervosos pelo corpo. Desta forma ele procura eliminar as interferências no sistema nervoso, buscando restabelecer o seu perfeito funcionamento.

A palavra Quiropraxia é formada a partir do grego: “CKEIROS” = mão e “PRAKTOS” = prática na cura, ciência prática. Unindo-se os dois termos temos Quiropraxia significa “executando com as mãos”.

Quadro de efeitos causados por subluxações vertebrais

Região Cervical

C1 – Dores de cabeça, nervosismo, insônia, resfriados, hipertensão, enxaquecas, cansaço crônico, vertigens.
C2 – Problemas sinusiais, alergias, surdez, problemas visuais, dores de ouvido.
C3 – Nevralgia, acne, eczema.
C4 – Febre do feno, secreções, perda de audição, adenóides, tendinite.
C5 – Laringite, rouquidão, dores de garganta, amigdalite.
C6 – Rigidez do pescoço, dor na porção superior do braço, amigdalite.
C7 – Bursite, resfriados, condições da tireóide.

Região Torácica

T1 – Asmas, resfriados, dificuldades respiratórias, dores na região inferior dos braços e mãos.
T2 – Condições funcionais do coração, dor na região superior das costas
T3 – Bronquites, pneumonia, congestão nasal.
T4 – Condições da vesícula biliar, herpes zoster.
T5 – Condições do fígado, febre, hipertensão, anemia, circulação deficiente, artrites.
T6 – Problemas gástricos, indigestão, dispepsia.
T7 – úlceras, gastrites.
T8 – Soluços, baixa resistência.
T9 – Alergias, urticárias.
T10 – Problemas renais, cansaço crônico, nefrites, rigidez das artérias.
T11 – Acnes, espinhas, eczemas, furúnculos.
T12 – Reumatismo, acumulo de gases.

Região Lombar

L1 – Constipação, colites, diarréia.
L2 – Câimbras, dificuldade respiratória, dores lombares.
L3 – Problemas menstruais( dor ou períodos irregulares), dores no joelho.
L4 – Ciática, lumbago, dor ou aumento da freqüência urinária, dores nas costas.
L5 – Circulação deficiente nas pernas, inchação dos tornozelos, câimbras.
Sacro – Condições do sacro ilíaco, curvaturas espinhais.
Cóccix – Hemorróidas, dores na região terminal da espinha ao sentar

Atenção: Este esquema não substitui o diagnóstico médico.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *